11 3842-0744

Hipnose é a nova aposta para emagrecer

Quando se ouve falar em hipnose geralmente vem à nossa cabeça algo mágico, meio místico ou até sobrenatural. Mas a prática da hipnose vem deixando os palcos de teatros e do “show business” para atuar como protagonista em outro palco: o da saúde e do bem-estar. Entre os métodos da hipnoterapia um tem feito muito sucesso entre quem está precisando emagrecer.

A técnica faz o paciente acreditar na existência de um balão gástrico dentro do estômago e reduz drasticamente a quantidade de alimentos ingeridos.

A psicóloga e psicoterapeuta cognitiva/hipnoterapeuta Alessandra Maria Freitas Santos, da clínica Horibe, esclarece com exclusividade ao Tempo de Mulher tudo sobre o uso da hipnose na perda de peso.

Saúde Quântica e Meditação

O Congresso Ortomolecular vai movimentar a capital paulistana, nos dias 3, 4 e 5 de junho, reunindo palestrantes nacionais e internacionais, como a Dra. Edith Horibe, PhD pela Faculdade de Medicina da USP, expoente em Estética Médica e em Gestão de Idade, com a palestra “Saúde Quântica e Meditação”, das 16h30 às 17h, no Centro de Convenções do Shopping Frei Caneca.

Segundo os estudos desenvolvidos pela Dra. Edith Horibe “a física quântica surgiu como nova ciência não só para alcançarmos a longevidade saudável, mas principalmente para a nossa evolução, para o encontro do nosso SER, uma vez que a mente influencia cada célula do corpo”, explica a medica que considera que o envelhecimento é um processo fluído e cambiável, pois acredita que ninguém dispõe de mais poder sobre o próprio corpo do que as crenças da mente.
Segundo estudos desenvolvidos pela pesquisadora, os primeiros passos para a manutenção da saúde e longevidade começaram com as civilizações antigas, que cederam contribuições inestimáveis à humanidade. Desde então, o Homem possui três idades:

– Idade Cronológica: número de anos, segundo o calendário;

– Idade Biológica: a idade do corpo em termos de sinais críticos da vida e processos celulares, e

– Idade Psicológica: a idade que se sente que tem.

Atualmente, mediante a complexidade do assunto, a física quântica passa a ser uma ferramenta imprescindível de entendimento de cada indivíduo, que só assim consegue administrar com sabedoria a manutenção da saúde. Para tanto, a Dra. Edith Horibe elaborou uma abordagem diferenciada sobre o tema.

A Medicina Quântica é fundamental, pois segundo a Dra. Edith Horibe, “é preciso conectar a ciência à espiritualidade”, uma vez que para a Medicina Integral a maioria das doenças ocorre simultaneamente em mais de um dos cinco corpos de consciência: físico, vital, mental, supramental e espiritual. Isto ocorre porque a doença pode ter origem em um dos níveis e espalhar-se para outros.

A médica explica que a doença pode ser entendida como um desvio das leis naturais, um sinal que evidencia um desequilíbrio ecológico. Curar-se é reconectar-se ao TODO: à nossa própria essência individual e ao fluxo natural que nos envolve e unifica.

Mas, como conseguirmos uma longevidade saudável? A Dra. Edith Horibe cita alguns exemplos:

1 – Ouça a sabedoria do seu corpo que se expressa através de sinais do conforto e desconforto.

2 – Viva no presente, pois é o único momento que você tem.

3 – Aproveite algum tempo para ficar em silêncio, para meditar, acalmar o diálogo interno.

Para a Dra. Edith Horibe, a pessoa escolhe se quer ser jovem ou velha e cita um dos maiores exemplos de longevidade com saúde, o arquiteto Oscar Niemeyer que até aos 104 anos estava extremamente produtivo.

A médica chama a atenção para uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, em que a população mundial de idosos está crescendo cada vez mais, e os velhos em breve serão pela primeira vez mais numerosos que as crianças pequenas. O mundo terá 1,3 bilhão de idosos até 2040, ou 14% da população global estimada.

A Dra. Edith Horibe desenvolveu o Programa Gestão da Idade, onde mostra que é possível as pessoas chegarem a idades avançadas de forma saudável. O programa é baseado em 6 Pilares:

1 – Bem-Estar mental e espiritual, através de técnicas e orientações da física quântica e meditação;

2 – Otimização hormonal – modulação com hormônios bioidênticos;

3 – Suplementação nutricional;

4 – Alimentação Antienvelhecimento com alimentos funcionais;

5 – Exercícios físicos regulares;

6 – Tratamentos estéticos.

“Só tratar o problema na esfera física não é o suficiente para o bem estar e cura dos homens.” Se não houver uma religação do físico com a mente, o problema físico irá voltar”, alerta a médica, que traz a meditação como grande aliada da saúde quântica
Meditação combate os males que afligem o corpo, a alma e a mente

A Meditação, além de ser um hábito milenar, é cultivada em diversas religiões, e é comprovado cientificamente que reduz a ansiedade, torna a respiração equilibrada e profunda, além de melhorar a oxigenação e a frequência cardíaca.

Os cientistas descobriram vários tipos de ondas cerebrais, que são emitidas em diferentes estados de consciência: Beta, Alfa, Teta e Delta. As frequências dessas ondas são medidas em ciclos por segundo ou Hz (Hertz).

Meditar é estar no presente, aqui e agora, plenamente. Os benefícios da meditação se iniciam pelo repouso corporal, muito superior ao do sono. Uma pessoa dormindo consome mais oxigênio do que quando medita. Os batimentos cardíacos se reduzem durante a meditação e aumentam no cérebro as ondas alfa e teta, que são associadas ao relaxamento profundo.

Segundo a Dra. Edith Horibe, a prática da meditação contribui para manter a pessoa num estado de equilíbrio, que a impede de entrar em conflitos emocionais internos. “A prática regular da meditação pode ser considerada como um remédio natural, para combater os males que prejudicam o corpo e a mente”, explica.

A médica diz que é fundamental manter o pensamento jovem, pois ajuda a trazer mais alegria, saúde, bem-estar e abundância para uma vida mais plena, sem jamais se considerar uma pessoa limitada e que a meditação contribui para esse processo.

“A meditação é excelente até para ajudar as pessoas a prevenir o envelhecimento de maneira positiva, tornando o indivíduo mais jovem por dentro e por fora.”

Homens gastam mais tempo e dinheiro com cuidados pessoais

O homem moderno adora um novo perfume, se interessa por cosméticos e não abre mão de uma limpeza de pele.

Antigamente, os homens procuravam um salão para cortar os cabelos e cobrir os fios grisalhos. Hoje, eles frequentam as clínicas de estética para tratar de rugas, flacidez, gordura localizada e outros procedimentos estéticos em nome do rejuvenescimento. Segundo a Associação Brasileira de Clínicas e Spas, o público masculino é responsável por cerca de 30% do movimento em salões e centros de bem-estar.

A Dra. Edith Horibe, cirurgiã plástica, PhD pela Faculdade de Medicina da USP, expoente em estética médica e gestão da idade, explica que, hoje em dia, o homem corre atrás de uma boa aparência, até para conquistar a autoconfiança pessoal e profissional. “A mídia influencia muito com relação a vaidade. As revistas, programas de TV, mostram a todo o momento os ícones do cinema, das novelas, do futebol, isso contribui para os homens deixarem o preconceito de lado na hora de se submeter a procedimentos estéticos e cirurgias plásticas”, afirma.

Uma curiosidade, voltando ao tempo, é que em 1994, o jornalista Mark Simpson, do jornal The Independent, utilizou o termo metrossexual em um artigo que abordava o homem com sendo um narcisista, que passou a cuidar da beleza e de suas necessidades. E é o que acontece até hoje.

A Dra. Edith Horibe conta que muitos chegam à Clínica Horibe em busca de uma limpeza de pele, que deixou de ser exclusiva para as mulheres. Eles apreciam a massagem facial, as loções cicatrizantes, as máscaras calmantes, os cosméticos e os cremes especiais, que são utilizados para cada tipo de pele.
E pedem também uma hidratação para tonificar o tecido do rosto. Isso mostra que eles estão bem informados e sabem o que precisam para ficar mais bonitos. “Os cremes esfoliantes para retirada da pele morta e máscaras no rosto proporcionam uma pele macia, lisa, com brilho e aparência mais saudável, além de limpa e bonita”, esclarece a médica.

Fio de Seda

Uma das indicações é o Fio de Seda, para que eles fiquem com a pele do rosto mais firme e revitalizada, em que se utiliza o método de hidratação com fios de seda. O tratamento é indicado para peles cansadas, flácidas e envelhecidas, mas também pode ser usado na pele muito ressecada e danificada pelo frio ou mesmo pelo sol.

A técnica, de origem israelense, usa os fios retirados diretamente do casulo do bicho da seda. As fibras de seda possuem em sua composição aminoácidos e proteínas capazes de hidratar as camadas mais profundas da pele, estimulando a produção de colágeno e elastina e fortalecendo os tecidos que sustentam a pele.

A Dra. Edith Horibe esclarece que, primeiro, a pele deve passar por uma sessão de limpeza e esfoliação, assim as impurezas e as células mortas são removidas e as substâncias conseguem penetrar melhor. Após a limpeza, a pele recebe uma boa camada de creme e logo em seguida os fios naturais são aplicados.

“O especialista abre o casulo, desfia e coloca sobre todo o rosto. Posteriormente, o fio é novamente umedecido com um líquido, que será dissolvido pela fricção das mãos durante a drenagem facial. A proteína da seda já era usada nos cabelos para hidratar os fios ressecados e ultimamente vem sendo utilizada no rosto”, explica a cirurgiã plástica. A massagem é importante, pois ajuda na absorção do creme pela pele. Dura cerca de 20 minutos e é super relaxante.

Além da limpeza de pele e da hidratação, a médica conta que a toxina botulínica, conhecida como botox, é um dos procedimentos mais procurados por eles, afinal as rugas são bastante incômodas, principalmente para os que lutam contra o envelhecimento da pele. O Botox é uma substância utilizada para o rejuvenescimento facial, sendo indicado para amenizar e corrigir as rugas de expressão, regiões entre as sobrancelhas, testa, “pés de galinha” e pescoço.

“Trata-se de um procedimento minimamente invasivo, que deixa a expressão facial suavizada, garantindo harmonia e beleza à face. É um dos mais difundidos para o rejuvenescimento, pois a toxina botulínica é uma neurotoxina que impede que o músculo se contraia”, conta a Dra. Edith Horibe.

Eles também querem eliminar a flacidez do pescoço. Neste caso, é indicado o Lifting com fio absorvível. Como pode haver um acúmulo de gordura no pescoço será necessária uma Lipoaspiração para retirar o excesso.

Ocidentalização das Pálpebras dá aparência de olhos maiores

A Cirurgia de Ocidentalização das Pálpebras, já popular entre os japoneses e coreanos ganha mais adeptos, os chineses. A insatisfação com o rosto leva muitas garotas orientais a optar por essa cirurgia plástica. A Dra. Edith Horibe, premiada por pesquisas sobre a anatomia e cirurgia em orientais, explica que os cílios ficam virados para baixo e muitas vezes acabam entrando nos olhos, causando até úlcera de córnea.
Detalhe anatômico dá volume e expressividade aos olhos, as “dobrinhas”, por isso muitos orientais aderem à essa cirurgia plástica, que visa também a correção

A globalização tem estimulado a busca por um padrão estético tendo como modelo as características físicas ocidentais. Isso tem despertado nos orientais o desejo de dar um toque nos olhos para valorizá-los, por isso recorrem à Ocidentalização das Pálpebras.

Essa cirurgia plástica tem sido cada vez mais procurada pela população jovem dos países orientais e por orientais que vivem no Brasil, com o objetivo de dar mais luminosidade aos olhos e levantá-los, característica dos ocidentais. No Japão, na Coréia do Sul e China é um dos procedimentos mais realizados. No Brasil vem aumentando de forma expressiva.

A Dra. Edith Horibe, cirurgiã plástica, PhD pela Faculdade de Medicina da USP, expoente em Estética Médica e Gestão da Idade, explica que 50 % dos orientais e seus descendentes apresentam a pálpebra superior lisa e sem a dobra.

A médica, filha e neta de homens nascidos no Japão, recebeu o prêmio Internacional em Cirurgia Plástica com esta técnica. A cirurgia plástica de Ocidentalização consiste em criar “dobrinhas” nas pálpebras dos olhos puxados, praticamente inexistente em japoneses, coreanos e chineses. “Pesquisando, descobri que metade dos orientais, por questões genéticas, não têm a dobrinha nas pálpebras e, nestes casos, os cílios ficam para dentro”, diz.

O procedimento visa preservar os traços orientais e amenizar a ausência do sulco palpebral superior (ausência de dobra na pálpebra superior), que geralmente fica 7 a 8 mm da borda dos cílios, excesso de bolsas de gordura da pálpebra superior e epicanto medial (prega de pele na parte medial do olho). Normalmente, a altura da dobra nos ocidentais é de 10 a 11 milímetros.

“A Ocidentalização das Pálpebras é uma cirurgia estética que é muito valorizada pelos orientais, para conseguirem uma maior projeção do olhar e atrai principalmente as mulheres que valorizam a maquiagem dos olhos”, afirma a Dra. Edith Horibe.

Esta cirurgia além do uso estético, também tem a utilidade de correção. As pessoas que nascem sem as pregas nos olhos têm chances de desenvolverem problemas visuais com o decorrer do tempo, porque os cílios podem voltar para dentro causando lesão na córnea, sendo muitas vezes necessária a intervenção cirúrgica.

A cirurgia consiste em retirar parte da gordura existente nas pálpebras superiores e, na maioria das vezes, também de uma tirinha fina de tecido muscular para eliminar o aspecto inchado, típico dos rostos orientais. Depois, é feita uma “dobrinha” em cima dos olhos. “A cirurgia faz a fixação da pele no na extensão do músculo elevador da pálpebra e tarso, de modo a fazer a dobra e simular a pálpebra ocidental”, explica a cirurgiã plástica.

O olho oriental também costuma apresentar maior gordura nesta região em relação aos ocidentais, ficando assim com o conjunto ocular mais proeminente. “Na maioria dos casos, pode ser interessante retirar um pouco da gordura, mas o mais importante é fazer a dobrinha bem calculada”, diz a especialista.

Segundo a Dra. Edith Horibe, é importante levar em consideração as características próprias da pele oriental, mais propensa à formação de cicatrizes em forma de quelóides.

Trata-se de uma cirurgia rápida, de pouco mais de uma hora e não precisa de internação. Logo de imediato já se vê o resultado. Três dias depois começa a retirada dos pontos, que termina em cinco dias. Em uma semana ou um pouco mais, o paciente já pode levar uma vida normal.

Portanto, a Ocidentalização das Pálpebras é fundamental para o conforto psicológico e físico, além do olhar fica mais bonito, vistoso e atraente.

Tratamentos estéticos não invasivos e eficazes para tratar o pescoço.

Cirurgiã Plástica, Dra. Edith Horibe, explica que o pescoço começa a dar sinais de flacidez após os 35 anos, mas o ideal é começar a tratar desde cedo.

No inverno, a moda pede roupas bem quentinhas e para esquentar o pescoço entram em cena os clássicos lenços, echarpes, cachecóis e as golas altas. Talvez por isso, a maioria das pessoas esquece de cuidar do pescoço com o uso do hidratante, do protetor solar e dos cremes.

A pele do pescoço é fina, com fibras delicadas e propensa ao envelhecimento precoce, que com o passar dos anos ganha rugas, linhas horizontais e flacidez. As manchas e as papadas também são muito comuns nesta região, por isso os tratamentos estéticos ajudam a tratar e a prevenir e se forem realizados no inverno, a vantagem é que no verão as mulheres podem usar vestidos e blusas mais decotadas, exibindo um pescoço mais bonito e rejuvenescido.

A Dra. Edith Horibe, cirurgiã plástica, PhD pela Faculdade de Medicina da USP, expoente em Estética Médica e Gestão da Idade, explica que a flacidez no pescoço aparece após os 35 anos, em que a pele começa a ficar caída, com papada e que pode ser evitada com vários tratamentos estéticos e cosmecêuticos. “Apesar do envelhecimento cronológico, as rugas, manchas e flacidez da pele prejudicam muito o visual. E ocorrem devido a exposição ao sol, perda da elasticidade, do tônus da pele, daí a importância da hidratação”, diz.

A médica explica ainda que a região do pescoço possui características diferenciadas da pele do rosto e que a quantidade de glândulas sebáceas é menor. Os tratamentos para o pescoço são basicamente os mesmos utilizados no rosto, porém com substâncias um pouco mais suaves ou com concentrações menores de ácidos ou despigmentantes.

A médica lista tratamentos estéticos não invasivos e eficazes para tratar o pescoço:

Luz Intensa Pulsada (LIP): tecnologia “não ablativa” (que não fere a pele) e emite uma fonte de energia luminosa, permitindo amenizar e até mesmo corrigir várias lesões da pele facial, causadas pelo fotoenvelhecimento, como manchas, microvarizes facial, estimula a produção de colágeno diminuindo a flacidez e as rugas. “A Luz Intensa Pulsada age em dois níveis: superficial e profundo. No superficial, atua diretamente nas sardas e manchas desenvolvidas com a exposição solar. No profundo, estimula a formação de colágeno amenizando cicatrizes, acne e rugas”, afirma.Tantos benefícios fazem da Luz Intensa Pulsada uma opção indispensável no tratamento de rejuvenescimento da face, pescoço, colo e dorso das mãos.
Laser de CO2 Fracionado: provoca uma espécie de queimadura controlada, que estimula a produção de colágeno e preenche as fibras rompidas da pele. Remove rugas superficiais, trata manchas e flacidez, pois permite uma remoção precisa do tecido com menor lesão térmica, devido sua tecnologia especial.
Infusão de CO2: é uma técnica moderna na qual o gás carbônico é injetado no tecido subcutâneo utilizando-se uma agulha muito fina, melhorando a circulação e oxigenação dos tecidos. Ideal, neste caso, para tratar a flacidez e reduzir a papada.
Toxina Botulinica (Botox): procedimento minimamente invasivo mais difundido para o rejuvenescimento, pois a toxina botulínica é uma neurotoxina que ajuda, por exemplo, no relaxamento da musculatura do pescoço, com o fim das contrações, que são responsáveis pela flacidez e linhas horizontais.
Peeling Químico: é utilizado para as mais diversas finalidades: remoção de sardas, manchas de sol, envelhecimento, rugas e flacidez, pode ser utilizado no pescoço, como o de média profundidade, já que se trata de uma área bastante delicada e que acaba recebendo uma exposição maior e não está restrito ao inverno como muitos pensam.
Cosmecêuticos: como a Vitamina C, que é anti-aging, necessária para a produção e reparo do colágeno e redução da inflamação da pele, fundamental para a cútis. “Existem vários cosmecêuticos para o rejuvenescimento e tratamento da pele, como o Ácido Alfa-Lipóico, que é o antioxidante universal. É cem vezes mais potente e antioxidante que a vitamina C ou E e a pele do pescoço fica saudável e bonita”, afirma.
Mini Lifting Cervical: é feita uma incisão atrás da orelha, feito o deslocamento da pele e puxado o músculo do pescoço e fixado na parte óssea atrás da orelha. O pescoço fica totalmente novo, o resultado é duradouro e muito satisfatório.

A Dra. Edith Horibe finaliza explicando que essas dicas para os cuidados com a região do pescoço ajudam a amenizar o efeito do tempo e ficar mais jovem, atenuando as imperfeições da pele.